Destricted.br

Adriana Varejão, Dora Longo Bahia, Karim Ainouz,
Janaina Tschäpe, Julião Sarmento,
Lula Buarque de Hollanda, Marcos Chaves,
Miguel Rio Branco e Tunga

2011

 

Destricted.br partiu de um convite aos artistas a criar filmes de natureza erótica (explícitos ou não). Destricted.br é a versão brasileira de Destricted - concebido originalmente pelo curador inglês Neville Wakefield com artistas como Mathew Barney, Larry Clark e Richard Prince, entre outros.

A partir desta experiência , ou em paralelo a ela, eles produziram outras obras, que se relacionam - em outras mídias e de forma livre ou direta – com as imagens que vemos nos filmes. Também integram a exposição obras mais antigas de alguns artistas onde o conteúdo sexual aparece de forma latente.

Em Psinoe, Adriana Varejão constrói uma narrativa onírica sobre o encontro sexual entre uma sereia e um homem, tendo ao fundo elementos de seu próprio universo pictórico, como os azulejos e o fundo do mar. Dando continuidade a seu trabalho com fotografia Varejão produziu também duas imagens onde o corpo da sereia aparece sobre um fundo azulejado. petit a, de Dora Longo Bahia é uma história não linear com três casais em cenários completamente distintos - um professor e sua aluna num trem, um cozinheiro e uma ninfa numa cozinha e uma cantora e um fã num show de rock.Longo Bahia mostra uma série de mais de cem desenhos e colagens onde as referências são descompostas num exercício de revisão da história do cinema e da pintura, e de literatura. Karim Ainouz constrói um cenário selvagem e idílico, numa seqüência entre um casal de meia idade em uma cachoeira. Já Ponto de vista, de Janaina Tschäpe, acompanha uma cena de sexo grupal onde todas as imagens são feitas por uma camera subjetiva colocada na cabeça da mulher. Uma série de gravuras abstratas livremente inspiradas nas filmagens também integra a exposição. Em Leporello, Julião Sarmento cria uma cacofonia de sexo verbal ao sobrepor quatro narrativas contadas simultaneamente por quarto mulheres. O trabalho é apresentado em formato de uma vídeo instalação. Amor, de Lula Buarque de Hollanda, questiona o sentido da violência e do amor em imagens pornográficas roubadas da internet. O cineasta apresenta seus filmes também na forma de instalações onde o espectador é convidado a se deitar ou ajoelhar para assistir as imagens. Marcos Chaves se utiliza de imagens roubadas nas praias e num clube de sexo gay do Rio de Janeiro em Day and Nightshots (Oferta e Procura), título do filme e também de uma série de fotos presentes na exposição. Fogu’s Subway Dream, de Miguel Rio Branco, é uma narrativa abstratra de imagens belíssimas de sexo e da cidade de Tóquio. Finalmente, em Cooking, Tunga retrata um casal que leva o sexo a limites extremos. Cercados de esculturas e cristais, seus corpos mimetizam as obras.